Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Percepção, uma estranha realidade

07.02.13

Percepção, uma estranha realidade

Sara Farinha

Alfarroba

Uma leitura agradável com um emocionante final

Nota 4/5.

Entrei um pouco mal na leitura deste livro. Achei o primeiro capítulo um pouco algo massivo. Rapidamente conhecemos o passado da protagonista, com muitos significados em um capítulo.
Funcionou como uma espécie de prólogo, pois os restantes capítulos já foram fáceis de ler.
A escrita é de um estilo simples e fluído, momentos há que sente-se uma certa repetição mas que mantém interessado o leitor. Com doses de mistério, a leitura avançou mais rápido ao aproximar-se do final.

 

A história tratava-se de Sensitivos, pessoas com capacidade em explorar sentimentos alheios.
A primeira parte do livro narrava a relação amorosa entre os dois protagonistas. Não costumo ler do género (os últimos livros que tocaram no aspecto foram o Rapariga que roubava livros (não muito) e o Scott Pilgrim, foi há tempos), mas na verdade eu até que gosto, desde que seja com bom gosto e se sinta uma ternura, o que foi o caso. Havia um interesse genuíno entre personagens. Mas não fiquei totalmente encantado. O que achei mais curioso foi o lado mais racional que a autora entregou a esses momentos, devido aos poderes sensitivos que moldaram a personagem, sem descuidar dos sentimentos. Achei que o protagonista masculino era um bocado perfeito. Apesar dos defeitos que o perseguiam, sempre o vi como alguém com a palavra certa no momento certo (ou seja, dava para confundir com alguém com lábia).
Gostei muito mais da protagonista feminina, torcia por ela.

 

A segunda metade do livro foi emocionante, quando entrou em cena o Convénio. Tratava-se de uma sociedade interessada em pessoas como a protagonista e que fazia de tudo para que essas pessoas estivessem a seu lado. Essa páginas agarraram a minha atenção, cheias de mistério e suspense. O confronto dos protagonistas com o Convénio esteve intrigante, a autora permitiu-se especular de modo original as manifestações e consequências dos poderes de todos. Há uma certa ambiguidade nos comportamentos de algumas pessoas, não eram bem o que pareciam ser. Daquelas de que se procurava afastar e das que se procurava por ajuda, fazendo desconfiar até da pessoa mais próxima. Foram capítulos de um rápida leitura. A minha cena favorita foi quando o Convénio capturou a protagonista, um momento tenebroso a evocar alguns filmes de ficção-científica e que permitiu o primeiro vislumbre dos poderes do Convénio.

 

Ficou no ar que a história não ficou terminada. Batalhas foram travadas mas a guerra ainda perdura. É com ansiedade que aguardo por um novo livro para saber do seu desfecho, e saber mais do Convénio.

 

Este livro, no geral, foi agradável e que apenas pecou na sua estrutura. Teria sido mais entusiasmante se o Convénio tivesse surgido mais cedo na história.

 

A capa está simples mas o seu design não me apelou muito.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 21:35



Feira do Livro de Braga

Braga, 3 de Julho a 19 Julho


A ler


Goodreads: Link

.


Goodreads: Link

Sugestão


Opinião: Link
Goodreads: Link

.


Opinião: Link
Goodreads: Link

Classificação

0 - Desisti.

1 - Mau!

2 - Desgostei/indiferente.

3 - Gostei/aconselho.

4 - Recomendo!

5 - Obra-prima.



Mais sobre mim

foto do autor


Leitor

rui alex



Pesquisa

Pesquisar no Blog